domingo, 15 de maio de 2011

UMA REFLEXÃO SOBRE BIODIVERSIDADE

Biodiversidade: produtos e serviços

14.05.2011| 14:00
0

Atualmente, testemunhamos uma fase difícil, uma crise na biodiversidade. Essa crise decorre, essencialmente, da combinação dos fatores crescimento populacional, consumo e pobreza. Acredita-se que podemos superá-la mediante o uso simultâneo de estratégias como educação ecológica, criação de unidades de conservação, aplicação do conceito de desenvolvimento sustentável e atribuindo valor à biodiversidade.

Destacando essa última estratégia e para melhor entender o que representa, suponhamos que foi descoberto um planeta não muito longe da nossa Terra apresentando água, solo e atmosfera similares, porém sem a presença de qualquer forma de vida. Você e outros insatisfeitos em morar na Terra dada a superpopulação humana, poluição generalizada, áreas naturais escassas e remotas dentre outras condições adversas ao bem-estar humano, têm que fazer uma lista de espécies para levá-las consigo na viagem rumo à nova moradia, em atendimento as necessidades humanas futuras naquele planeta.

Certamente, para ser prático, o grupo viajante escolherá espécies que podem oferecer produtos tais como alimentos, medicamentos, fibras, madeiras, óleos dentre outros. Facilmente, a lista pode atingir centenas de espécies vegetais, animais e de microorganismos. Ademais, necessário se faz adicionar à lista outros seres vivos que deverão assegurar a sobrevivência dessas espécies selecionadas pelo grupo viajante.

Não sendo bastante outras espécies precisam ser levadas na bagagem para, agora, prestarem serviços essenciais ao bem-estar dos viajantes como a manutenção da composição gasosa da atmosfera, purificação da água, decomposição do lixo orgânico, controle biológico de pragas e doenças, polinização, dispersores de sementes, fertilizadores do solo e lazer, só para citar alguns serviços ecológicos. Quanto ao número de espécies que o grupo levaria consigo para o novo planeta, não sabemos e, talvez, jamais saberemos.

Baseado nesse exemplo hipotético se percebe, facilmente, o quão a biodiversidade é importância para a vida do Homem. A biodiversidade oferece produtos que podem ser todo o corpo do ser vivo (um alface, um peixe etc.) ou uma parte deste (uma fruta, resina, ovo etc.) e, também, presta valiosos serviços, os chamados serviços ecológicos, conforme supracitado.

Recentemente, esses serviços ecológicos ganharam mais atenção, de modo que, metodologias para valoração têm sido aprimoradas para revelar mais fielmente, por exemplo, quanto custa os serviços prestados pelas abelhas na polinização de várias plantas que fazem parte de nossa dieta. Outro serviço como a produção de oxigênio realizada pelo fitoplâncton marinho e que nos mantém vivos, quanto custa? E os serviços de uma mata na regulação da vazão de rios, ou os serviços coletivos de animais que controlam populações de outros animais não permitindo que se tornem pragas, e assim por diante.

Evidentemente, morando em cidades e com o avanço da tecnologia temos a real sensação de não dependência, sobretudo, dos serviços prestados pela biodiversidade. O homem até consegue substituir alguns serviços como a aplicação de pesticidas nas lavouras ou usando fertilizantes no solo dentre outros. Agora, imagine se as abelhas deixassem de existir por alguma razão. Seria o colapso total para a produção de laranja, cana-de-açúcar dentre muitas outras culturas comerciais. Em substituição as abelhas o produtor poderia usar de outros polinizadores menos eficientes e do próprio homem para polinizar, assim, encarecendo substancial a produção.

Na verdade, continuamos e continuaremos a depender dos serviços prestados pela biodiversidade. Vivendo longe do convívio com a natureza, seus serviços apenas ficam menos evidentes. Então, diante disso falar de conservação da biodiversidade seria um luxo, um gasto desnecessário? Negligenciar a biodiversidade hoje preocupa muito, pois pode afetar negativamente vários aspectos do bem-estar humano no futuro como a segurança, saúde, material básico, boas relações sociais e liberdade de escolha e ações.

Arnóbio Cavalcante é doutor em Ecologia e pesquisador do Ministério da Ciência e Tecnologia/Instituto Nacional do Semiárido.
JORNAL O POVO - CIÊNCIA E SAÚDE

Um comentário:

Natureza e Paz disse...

Estou no Haiti em missão de paz da ONU e gostaria de comunicar aos meus blogs favoritos linkados no Natureza e Paz, que o NatPaz agora está também no Twitter. Convido a todos a conhecer. http://twitter.com/#!/NaturezaePaz
Muita Paz.
Carlos